Conheci de perto a dor da mãe de um viciado

Aos 12 anos de idade eu já estava viciado em cigarro e maconha, o famoso “baseadinho”. Por causa da bebida cheguei a desmaiar por tanta embriaguez, me tornando um viciado nato e assumido ao ponto cometer pequenos furtos para sustentar os vícios.
Aos 14 anos ingressei no mundo do crime, praticava assaltos à mão armada e sequestro relâmpago, e por conta disso acabava preso e levado para casa de menores infratores. Quando livre era só questão de tempo para começar a fazer tudo errado novamente.
Em busca do dinheiro fácil passei a traficar, me tornando gerente em um ponto de drogas de uma cidade grande; foi quando começou a destruição total da minha vida, fiz muitos inimigos, vivia migrando de cidade em cidade sendo procurado pela polícia e jurado pelos bandidos, que quase me mataram, mesmo assim me aprofundei no mundo do crime, aos 17 anos já era dono de vários pontos de tráfico no estado onde morava, éramos uma quadrilha de oito adolescentes conhecidos, temidos e odiados por muitos, hoje dessa quadrilha só eu e mais um estamos vivos.

As drogas me trouxeram, depressão, alucinações e delírios, quando eu fumava o crack, via bichos, vultos, era muito nervoso, tinha desejo de matar meu pai por ter abandonado minha família quando eu ainda era uma criança, roubava, trocava tiros com bandidos, vivia na sujeira desse mundo, tentei duas vezes o suicídio, tinha insônia, sofria com amnésia, guardava dinheiro e drogas depois não sabia onde havia guardado.
Eu sentia a necessidade de usar a droga, eu até queria sair mas, o desejo por elas era mais forte do que eu.
Cheguei a viver na cracolândia, troquei um terreno por crack, virei morador de rua.
Em um baile de rua numa sexta feira de 1997, dois “amigos” que frequentavam a minha casa, e usávamos drogas juntos todos os dias, sacaram armas e começaram a disparar contra mim a queima roupa, me atingiram com 8 tiros, fiquei um mês e dezenove dias em coma, os médicos disseram que a probabilidade de vida era mínima, estava desenganado, mas por um milagre eu sobrevivi, e esse milagre surgiu graças às orações que a minha mãe fazia constantemente por mim.

Quando acordei do coma falei para a minha mãe que eu nunca mais usaria drogas, cheguei a passar por três vezes em clínicas de recuperação e nada havia adiantado.
Mas, novamente após recuperar minha saúde, voltei para a vida bandida; fui preso em flagrante e condenado a 12 anos de prisão.
Minha mãe continuava em sua luta mesmo tendo todos os indícios, de que parecia uma batalha perdida, graças a fé dela cumpri alguns anos e saí da prisão.
Como tinha muitos inimigos, fui capturado e levado ao que seria o último dia de minha vida. Armas apontadas para minha cabeça com o rosto no chão no meio de um matagal fiz um voto com Deus, e disse: Senhor, já falei várias vezes que iria sair dessa vida, e nunca saí, mas se o Senhor me tirar desse matagal com vida, amanhã mesmo estarei na Tua casa e nunca mais sairei, na mesma hora eu criei uma força dentro de mim e disse: Se quiserem me matar, pode matar, pois o meu Deus é mais forte do que vocês! Na mesma hora eles guardaram as armas e eu sai dali com vida; chegando em casa vi na TV um testemunho de alguém que tinha a vida como a minha, ali vi que para mim tinha jeito, no outro dia cheguei na Universal e entreguei toda a minha vida para Deus, hoje estou livre de tudo.
Agradeço a Deus pela minha mãe que não desistiu de mim, lutou pela minha salvação através da fé.

antes

Paulo Rogério antes

Depois

Paulo Rogério e sua mãe hoje

Hoje tenho a honra de servir a Deus, há 8 anos sou um novo homem, agora vivo para ajudar quem realmente precisa, pois conheci de perto a dor de um viciado e de uma mãe de um viciado.

Paulo Rogério- MT

Faça você mesma como fez a mãe do Paulo Rogério, que deixou de ter esperanças e passou a usar a fé que transforma.
Participe da Palestra com as mães no dia 27 de Setembro em todo o Brasil às 15 hs nos principais templos da Universal, e conheça a verdadeira força interior que transforma.
Essa é uma grande oportunidade para ver a sua família feliz.

Em Mato Grosso:
DIA 27 DE SETEMBRO, ÀS 16:30H
SEDE ESTADUAL
Av: Tenente Coronel Duarte,Nº 1.798 – Centro/Cuiabá

Share This Post

About Author: projetos

7 thoughts on “Conheci de perto a dor da mãe de um viciado

  1. Marinalva Araújo
    7 de setembro de 2015 at 19:55

    Ver a força de uma mãe como essa com certeza fortace a muitas mães.

  2. Marinalva Araújo
    7 de setembro de 2015 at 20:02

    Uma mãe quando tem a força de Deus dentro dela,ela pode conseguir qualquer coisa a través da fé.

  3. Paulo Rogério
    8 de setembro de 2015 at 00:26

    Sem dúvidas existe,solução para qualquer problema que aos olhos humano
    Pareça impossível hoje sou prova viva do poder de Deus e da força da mãe em oração
    Assim como minha mãe venceu eu determino em nome do Senhor Jesus …
    Todas que lutarem vencerão também que Deus abençoe…

  4. tatiane
    8 de setembro de 2015 at 11:07

    Vale a pena a luta e perseverança de uma mae………..

  5. ilza maria borges lino
    9 de setembro de 2015 at 06:48

    esse e o DEUS que transforma louvo A deus pela transformaçao do meui filho obrigado senhor!

  6. Aline Oliveira
    11 de setembro de 2015 at 17:57

    A mãe recebeu uma autoridade de Deus para abençoar seus filhos,imagine
    quando ela une essa autoridade a fé no Deus do impossível?
    acontece o que se lê neste fortíssimo testemunho.

  7. 23 de setembro de 2015 at 12:07

    Amém edifica e nos renova e mantém a esperança

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *